sábado, 10 de agosto de 2013

MOVIMENTOS SOCIAIS.

MOVIMENTOS SOCIAIS
 DIREITO, CIDADANIA E MOVIMENTOS SOCIAIS.

            Normalmente todo estudante aprende na escola que as camadas mais populares do Brasil sempre estiveram envolvidas em algum tipo de luta social, tendo em vista que eram constantemente desprivilegiadas em muitos direitos civis, políticos e sociais. No século XIX estas lutas estavam relacionadas à escravidão, à cobrança de impostos, à mudança de regimes políticos entre outros.
            E ao contrário do que se possa imaginar, foram dezenas de movimentos sociais que criaram um ambiente propício para as mudanças que foram acontecendo na história brasileira. Podemos dizer que se esses movimentos populares constantes que defendiam a abolição, por exemplo, o ato da libertação dos escravos assinados pela princesa Isabel teria demorado ainda mais tempo para acontecer.
            No século XX estavam relacionadas à luta pela terra, pela democracia, por melhores condições de trabalho, por moradia entre outros. Da mesma forma que ocorreu no passado, neste período, a população também teve grande importância nas mudanças ocorridas na sociedade. E assim como antes, muitas vezes centenas de pessoas colocaram suas vidas em risco para que o objetivo fosse alcançado.
            No século XXI outros movimentos também começaram a ganhar força no interior da sociedade brasileira, como aqueles que combatem a homofobia, aqueles que lutam por reparações históricas aos descendentes de escravos, bem como aqueles que lutam pela ética na política.
            Levando tudo isto em conta, todos os direitos da população brasileira foram sempre resultados da luta dos movimentos sociais e não um presente de algum tipo de governante do momento. Por este motivo, levou muito tempo para o Brasil tratar com respeito a estes movimentos e não olhá-los como um caso de polícia.
            Mas o que são os movimentos sociais? São agrupamentos de indivíduos envolvidos num empenho organizado para gerar ou combater a alterações na sociedade ou no grupo do qual fazem parte. Possuem três características: a) representam alguém, falam em nome de alguém, defendem os interesses de alguém; b) sempre lutam contra alguma coisa, buscam vencer uma oposição ou indiferença e c) mesmo representando um grupo específico fazem isto invocando os interesses de toda a coletividade.
            São exemplos: a) o Movimento Sem Terra que defendem os trabalhadores rurais que não possuem propriedades rurais, que lutam contra os latifúndios improdutivos e que fazem isto invocando a idéia da justiça social; b) o Movimento Feminista que defende as mulheres, que lutam contra o machismo e que fazem isto invocando a idéia da igualdade entre todas as pessoas.
            Os movimentos sociais podem ser conservadores, reformistas e revolucionários:
a) Conservadores: quando os movimentos lutam de forma organizada para manter a sociedade como está, ou ainda desejam que ela volte a ser de alguma maneira que consideram que tenha sido melhor no passado. Exemplos: UDR (União Democrática Ruralista) que luta contra a reforma agrária.
b) Reformistas: quando os movimentos organizadamente querem modificar pontos específicos da sociedade. Ainda que desejem reformas e não uma revolução, muitos deles podem usar de recursos pacíficos como um abaixo assinado, ou ainda pegar em armas, o que importa é o objetivo do movimento. Eles não deixarão de serem classificados como reformistas por causa do meio que utilizarem para reivindicar. Exemplos: MST (Movimentos Sem Terra) que luta a favor da reforma agrária.
c) Revolucionários: quando desejam modificar radicalmente as estruturas da sociedade substituindo por outro. Exemplo: os bolcheviques que derrubaram o czarismo na Rússia e implantaram o que se convencionou chamar de mundo socialista.
            De qualquer forma todos esses movimentos sociais lutam pela conquista de certos benefícios, certos direitos. Na sociedade capitalista existem pelo menos três tipos, o direito civil, o político e o social e é na medida em que os indivíduos conseguem expandir esses direitos é que adquirem cidadania. E por cidadania entenda-se o conjunto de direitos e deveres de uma pessoa pertencente a uma nação.
            Nas sociedades européias os direitos civis (liberdade individual, liberdade de palavra, pensamento e fé, liberdade de ir e vir, o direito à propriedade, o direito de contrair contratos válidos e o direito à justiça) foram conquistados no século XVIII a partir de muita luta, tendo em vista que eles marcavam o fim de um período histórico baseado na sujeição de um grupo frente o outro, os maiores exemplos são do servo para com o senhor feudal e o escravo para com o seu senhor.
            No século XIX a Europa conquistava os direitos políticos (ao voto e acesso aos cargos políticos), tendo em vista, que no início somente os ricos e os homens tinham algum direito político, conforme o tempo passou, muitos movimentos sociais surgiram e lutaram, como por exemplo, o das mulheres, dos negros e dos trabalhadores pelo direito ao voto. E foi somente por causa deles é que surgiu o chamado sufrágio universal, que é a garantia de que todos votam, e que todos os votos têm o mesmo peso.
            No século XX os europeus conseguiram os direitos sociais (condições mínimas de bem-estar social e econômico que permitam aos cidadãos desfrutar inteiramente do exercício dos direitos civis e políticos). Isto não significa que todas as desigualdades desapareceram, apenas que diminuíram substancialmente. Os direitos sociais são fundamentais, pois se acredita que o indivíduo que vive na extrema miséria não tem condições de ter seus direitos civis ou políticos exercidos.
            É claro que no Brasil todos esses direitos foram sendo conquistados mais tarde, conforme o país e seu povo iam se construindo. Pode-se dizer que os direitos políticos e civis foram consolidados depois do fim da ditadura militar em 1989, com a eleição direta para presidente da república. E os direitos sociais ainda são motivo de luta diária por diversos movimentos sociais como o que não tem terra, como o que não tem moradia e assim por diante.
            Na atualidade outros tipos de movimentos sociais lutam pela conquista de outros tipos de direitos, aqueles relacionados à ecologia, ao feminismo, às minorias étnicas e à homossexualidade.
            Por isso tudo os movimentos sociais são tão importantes, se hoje temos alguns direitos que parecem que são “normais”, cabe saber que eles só existem por que grupos de pessoas, muitas vezes, arriscaram suas vidas para que eles existissem.

ATIVIDADES:

1) O que são movimentos sociais?
2) Explique os tipos de movimentos sociais?
3) O que é cidadania?
4) Explique os 3 tipos de direitos que formam a cidadania.
5) Converse com os colegas e escreve que tipo de deveres os cidadãos possuem.
6) Qual a relação entre movimentos sociais e a cidadania?


Movimentos Sociais - Questões de Vestibulares - Gabarito


1. (Uel 2013) O vídeo Kony 2012 tornou-se o maior sucesso da história virtual, independente da polêmica causada por ele. Em seis dias, atingiu a espantosa soma de 100 milhões de espectadores, aproximadamente. No primeiro dia na Internet, o vídeo foi visto por aproximadamente 100.000 visitantes. 
(Adaptado de: PETRY, A. O Mocinho vai prender o bandido... e 100 milhões de jovens querem ver. Veja, ano 45, n.12, 2261.ed., 21 mar. 2012.) 

A Internet revelou-se um poderoso instrumento para a ação política de ONGs e de movimentos sociais. 

A respeito das formas de expressão de necessidades coletivas no mundo globalizado, assinale a alternativa correta. 
a) As ONGs e os novos movimentos sociais têm como característica comum a construção de estruturas hierarquizadas e rígidas para a realização das lutas coletivas. 
b) Como toda luta política, a conquista do poder de Estado é o referencial a partir do qual se constroem as ações das novas reivindicações coletivas de ONGs e movimentos sociais. 
c) Demandas ligadas ao trabalho perderam sua importância para as novas lutas coletivas expressas pelas ONGs e pelos recentes movimentos sociais. 
d) Nas novas lutas coletivas há o predomínio dos novos sujeitos sociais, os grupos sociologicamente minoritários, com um projeto definido e uniforme de construção da sociedade. 
e) O ativismo de ONGs e de movimentos sociais nas redes virtuais diversifica as agendas políticas e as práticas que buscam inovar o modo de fazer política. 

2. (Ufpa 2013) O Pará é o estado brasileiro que apresenta o maior número de terras quilombolas reconhecidas pelo Estado. Em 1995, no município de Oriximiná, a comunidade de Boa Vista foi a pioneira no país a receber título coletivo de suas terras. Para a concretização deste direito, uma comunidade quilombola precisa comprovar que 
a) dispõe de registros arqueológicos pelos quais se confirme que a comunidade vive em terras que eram, anteriormente, um quilombo de escravos negros fugidos da servidão. 
b) sua identidade étnica como remanescente de quilombo é resultado de processos de resistência em relação aos grupos sociais hegemônicos. 
c) tem origem biológica negra em toda a sua população. 
d) sempre viveu isolada de outras comunidades por longos períodos de tempo, o que possibilitou a identificação de seus membros pela cor da pele. 
e) sua população mantém vivas as tradições religiosas dos primeiros escravos africanos que habitaram o território brasileiro. 

3. (Ufpa 2013) As novas tecnologias da informação e comunicação tornaram-se uma realidade nas relações sociais contemporâneas e contribuem para a maior integração das pessoas neste início do século XXI. Sobre as alterações nas práticas culturais decorrentes dessas novas tecnologias informacionais, é correto afirmar: 
a) As pessoas deixaram de contatar as redes sociais já consolidadas e as substituíram por encontros presenciais realizados por meio da rede mundial de computadores. 
b) As dinâmicas das culturas vinculadas à virtualidade dos meios de comunicação consolidam a cultura popular em detrimento da cultura de massa e da indústria cultural. 
c) A violência urbana impede que sejam ampliadas as redes e grupos sociais tradicionalmente vinculados ao capitalismo, o que intensifica o uso convencional dos serviços dos correios. 
d) A educação e a religião estão apartadas do processo de utilização de mídias eletrônicas, e isso causou o afastamento das pessoas das lutas por causas sociais mais amplas. 
e) As novas tecnologias de informação e comunicação têm sido utilizadas nas ações coletivas de pessoas envolvidas com as demandas dos movimentos sociais. 

4. (Uel 2013) 
Muitas vezes, o processo de evolução por seleção natural é alvo de interpretações distorcidas. E quando o assunto é a evolução humana, a distorção pode ser ainda maior, pois o Homo sapiens é apresentado como o ápice do desenvolvimento. As ilustrações mais conhecidas da evolução estão todas direcionadas no sentido de reforçar uma cômoda concepção da inevitabilidade e da superioridade humanas. A principal versão dessas ilustrações é a série evolutiva ou escada de progresso linear. Esse avanço linear ultrapassa os limites das representações e alcança a própria definição do termo evolução: a palavra tornou-se sinônimo de progresso. A história da vida não é uma escada em que o progresso se faz de forma previsível e sim um arbusto ramificado e continuamente podado pela tesoura da extinção. 

(Adaptado de: GOULD, S. J. Vida maravilhosa: o acaso na evolução e a natureza da história. São Paulo: Companhia das Letras, 1989. p.23-31.) 
Com essa noção de progresso, referida no texto, construía-se a crença de que o ser humano caminhava em direção a um progresso irresistível, e ele próprio seria o exemplo dessa noção, implicando, por exemplo, a minimização do trabalho braçal e uma supervalorização das atividades intelectuais. Porém, no século XX, tendências de pensamento demonstraram que a razão, ao mesmo tempo em que é libertadora, também tem a capacidade de subjugar os homens. Essa crítica às concepções modernas da razão foi o sustentáculo de um movimento contestador e pacifista, denominado de movimento __________. 

Assinale a alternativa que apresenta o termo que preenche, corretamente, a lacuna do enunciado. 
a) contracultural. 
b) modernista. 
c) neoliberal. 
d) trabalhista. 
e) yuppie. 

5. (Uncisal 2012) Os problemas ambientais mobilizam muitos cientistas e ativistas ao redor do mundo. Atuando em áreas distintas, eles buscam soluções a curto e médio prazos para evitar um colapso completo do meio ambiente. Fazendo uma análise no sentido sociológico da charge abaixo, podemos concluir como verdadeiro: 

a) sociedades com alto padrão de qualidade e acesso irrestrito a tecnologia estão a salvo das consequências advindas dos problemas ambientais. 
b) a resolução dos problemas ambientais requer não somente políticas públicas e ações globais, mas uma mudança de comportamento dos indivíduos. 
c) os problemas ambientais não forçarão a mudança de comportamento dos indivíduos ou a forma de organização das sociedades ao redor do mundo. 
d) as práticas capitalistas não ameaçam tanto o meio ambiente e as relações sociais. 
e) a industrialização e urbanização intensas não são causas dos problemas ambientais. 

6. (Ucs 2012) Apesar de todas as mudanças sociais, culturais, econômicas, políticas, dos meios de comunicação e de valores ocorridas no século XX, a discriminação da mulher é ainda um fato comum na sociedade atual. 

Considere as seguintes afirmações sobre o papel da mulher na sociedade brasileira. 
I. Getúlio Vargas, em 1934, promulgou uma Constituição que dava às mulheres o direito de voto e o direito de serem votadas. 

II. A participação feminina na população economicamente ativa, a partir da década de 60, teve um aumento significativo, devido à necessidade de as mulheres trabalharem fora de casa para ajudar no orçamento familiar. 

III. As mulheres organizaram várias ONGs feministas, na década de 80, para terem participação na vida social e política nacional, e nessa década foi criado o Conselho Nacional da Condição Feminina, ligado ao Ministério da Justiça. 
Das afirmações acima, 
a) apenas I está correta. 
b) apenas II está correta. 
c) apenas III está correta. 
d) apenas II e III estão corretas. 
e) I, II e III estão corretas. 

7. (Enem 2012) As mulheres quebradeiras de coco-babaçu dos Estados do Maranhão, Piauí, Pará e Tocantins, na sua grande maioria, vivem numa situação de exclusão e subalternidade. O termo quebradeira de coco assume o caráter de identidade coletiva na medida em que as mulheres que sobrevivem dessa atividade e reconhecem sua posição e condição desvalorizada pela lógica da dominação, se organizam em movimentos de resistência e de luta pela conquista da terra, pela libertação dos babaçuais, pela autonomia do processo produtivo. Passam a atribuir significados ao seu trabalho e as suas experiências, tendo como principal referência sua condição preexistente de acesso e uso dos recursos naturais. 
ROCHA, M. R. T. A luta das mulheres quebradeiras de coco-babaçu, pela libertação do coco preso e pela posse da terra. In: Anais do VII Congresso Latino-Americano de Sociologia Rural, Quito, 2006 (adaptado). 

A organização do movimento das quebradeiras de coco de babaçu é resultante da 
a) constante violência nos babaçuais na confluência de terras maranhenses, piauienses, paraenses e tocantinenses, região com elevado índice de homicídios. 
b) falta de identidade coletiva das trabalhadoras, migrantes das cidades e com pouco vínculo histórico com as áreas rurais do interior do Tocantins, Pará, Maranhão e Piauí. 
c) escassez de água nas regiões de veredas, ambientes naturais dos babaçus, causada pela construção de açudes particulares, impedindo o amplo acesso público aos recursos hídricos. 
d) progressiva devastação das matas dos cocais, em função do avanço da sojicultura nos chapadões do Meio-Norte brasileiro. 
e) dificuldade imposta pelos fazendeiros e posseiros no acesso aos babaçuais localizados no interior de suas propriedades. 

8. (Ufu 2012) Leituras comuns acerca da democracia associam seu conteúdo, exclusivamente, ao universo eleitoral. Todavia, outras dimensões da democracia são igualmente importantes, como testemunha o trecho abaixo da canção Da lama ao caos, de Chico Science e a Nação Zumbi. 
Oh Josué eu nunca vi tamanha desgraça 
Quanto mais miséria tem, mais urubu ameaça 
Peguei o balaio, fui na feira roubar tomate e cebola 
Ia passando uma velha, pegou a minha cenoura 
Aí minha velha, deixa a cenoura aqui 
Com a barriga vazia não consigo dormir 
E com o bucho mais cheio comecei a pensar 
Que eu me organizando posso desorganizar 
Que eu desorganizando posso me organizar 
Que eu me organizando posso desorganizar [...]. 

Nessa canção, uma outra dimensão da democracia, além da eleitoral, é apresentada por meio da noção de 
a) participação política, presente no verso “Que eu me organizando posso desorganizar”. 
b) solidariedade, presente no verso “Quanto mais miséria tem, mais urubu ameaça”. 
c) respeito à diversidade, presente no verso “E com o bucho mais cheio comecei a pensar”. 
d) igualdade econômica e social, presente no verso “Peguei o balaio, fui na feira roubar tomate e cebola”. 

9. (Unicentro 2012) A vida política não acontece apenas dentro do esquema ortodoxo dos partidos políticos, da votação e da representação em organismos legislativos e governamentais. O que geralmente ocorre é que alguns grupos percebem que esse esquema impossibilita a concretização de seus objetivos ou ideais, ou mesmo os bloqueia efetivamente. [...] Às vezes, a mudança política e social só pode ser realizada recorrendo-se a formas não ortodoxas de ação política. 
GIDDENS, A. Sociologia. 4. ed. Tradução Sandra Regina Netz. Porto Alegre : Artmed, 2008. 

Há um tipo comum de atividade política não ortodoxa, que busca promover um interesse comum ou assegurar uma meta comum através de ações fora das esferas institucionais, que se chama de 
a) interação social. 
b) mobilidade lateral. 
c) movimento social. 
d) princípio preventivo. 
e) movimento de acomodação urbana. 

10. (Unimontes 2012) À medida que, a partir dos anos 70, amplia-se uma cultura democrática no Brasil, que os movimentos sociais, junto com outros setores democráticos, vão .arrombando as portas da ditadura., o Estado torna-se lentamente permeável à participação de novos atores sociais. O Estado brasileiro, tradicionalmente privatizado pelos seus vínculos com grupos oligárquicos, vai lentamente .cedendo. espaço, tornando-se mais permeável a uma sociedade civil que se organiza, que se articula, que constitui espaços públicos nos quais reivindica opinar e interferir sobre a política, sobre a gestão do destino comum da sociedade. A radicalização da democracia não significa apenas a construção de um regime político democrático, mas também a democratização da sociedade e a construção de uma cultura democrática. Esse é ainda um desafio. 
(Adaptado de CARVALHO, Maria do C.A.A. Participação social no Brasil hoje. Disponível em  Acesso em maio 2011. 

Considerando o texto e essa conjuntura, analise as afirmativas, tendo em vista o significado da participação social: 
I. Participar da gestão dos interesses coletivos significa participar do governo da sociedade, disputar espaço no Estado e no mercado, nos espaços de definição e execução das políticas públicas. 

II. Os movimentos sociais têm, apesar das limitações e precariedades, construído contrapartidas que colocam num outro patamar de dignidade e respeito setores excluídos da sociedade, rompendo as fronteiras dos espaços onde têm sido confinados. 

III. Ampliar a tolerância, o respeito democrático pelo diferente, eliminar as segregações raciais, de gênero, de opção sexual, entre outras, é o resultado da incidência de práticas participativas que constroem e modificam os valores sociais. 
IV. Participar significa questionar o monopólio do Estado como gestor da coisa pública, construir espaços públicos não estatais, abrir caminhos para o aprendizado da negociação democrática e afirmar a importância do controle social sobre o Estado. 
Estão corretas as afirmativas 
a) II, III e IV, apenas. 
b) I, II e III, apenas. 
c) I, III e IV, apenas. 
d) I, II, III e IV.


Referências Bibliográficas 


Postar um comentário